Hospital Yutaka Takeda conquista reconhecimento da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis

Unidade participou do Desafio Resíduo e recebeu placa de reconhecimento durante evento realizado em São Paulo

O Hospital Yutaka Takeda (HYT), gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, em Parauapebas (PA), recebeu uma placa de reconhecimento pela participação na Desafio Resíduo, da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis (Global Green and Healthy Hospitals – GGHH). A entrega aconteceu durante o 12º Seminário Hospitais Saudáveis, realizado na semana passada na capital paulista.

O Desafio Resíduo, tem como principais metas mobilizar o setor saúde brasileiro para aprimorar suas práticas de gestão, reduzindo a geração total de resíduos, ampliando a reciclagem desses materiais, assim como diminuir a proporção de resíduos perigosos que necessitam de tratamento especial, por meio do aprimoramento, seguro e racional, das práticas de segregação.

O HYT realiza diversas ações para estimular as boas práticas de atividades sustentáveis, como coleta seletiva de resíduos, ações educativas para os colaboradores e campanha anual de sustentabilidade envolvendo os profissionais do hospital e a comunidade. Só no ano de 2018, a unidade obteve uma média de 52% de reciclagem dos resíduos gerados, que evidencia o cuidado e a responsabilidade da instituição com o meio ambiente.

Para o administrador assistente do HYT, Francisco Ferreira, que representou a unidade no evento, o reconhecimento premia o trabalho de todos os colaboradores do Yutaka. “Sem o apoio do time de trabalho, o objetivo de termos um hospital sustentável não teria sido atingido, bem como o Desafio Resíduo. Somente com uma equipe treinada, atuante e consciente, poderemos cumprir nossa missão”, declarou Francisco.

Além do Hospital Yutaka Takeda, outras cinco unidades gerenciadas pela Pró-Saúde participaram dos Desafios do Clima e de Resíduo do _GGHH_. O Hospital Público Estadual Galileu, em Belém; Oncológico Infantil, em Belém; Hospital Regional do Sudeste do Pará, em Marabá e Hospital Regional da Transamazônica, em Altamira, todos no estado do Pará, além do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, no Rio de Janeiro, aderiram aos desafios e receberam, durante o evento, placas de reconhecimento.
O Hospital
O Hospital Yutaka Takeda foi construído pela Vale em 1986 e é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar desde 1997. Possui ambulatório para consultas eletivas com 20 especialidades médicas, Pronto-Socorro 24h, acomodações de internação com 16 leitos de enfermarias, 17 leitos de apartamentos individuais, um leito de isolamento, um leito de assistência semi-intensiva e dois leitos de assistência semi-intensiva neonatal, com um total de 37 leitos. Além disso, possui centro cirúrgico com três salas cirúrgicas, uma sala de pré-parto e três leitos de recuperação pós-anestésica, Serviço de Auxílio Diagnóstico e Terapia e Serviço de Medicina do Trabalho.

A unidade possui importantes certificações, a de Hospital Acreditado Pleno – Nível 2, reconhecimento concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), que avalia a qualidade, segurança e gestão integrada. E foi o primeiro Hospital no Brasil certificado pelo Programa de Qualidade (PNQ) do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), que reconhece a qualidade da assistência da instituição.

Sobre a Pró-Saúde
A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.
Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente, realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 22 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.
A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.