Conscientização na praça: Yutaka Takeda promove atividades físicas no Outubro Rosa

Na reta final do Outubro Rosa, mês de conscientização sobre o câncer de mama, o Hospital Yutaka Takeda, em Parauapebas (PA), promoveu atividades físicas em praça pública para a população. O objetivo da ação foi a conscientização e prevenção da doença. A unidade, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, realizou durante o mês um ciclo de palestras e oficinas sobre a importância da prática de atividades físicas regulares, que podem contribuir para a prevenção do câncer de mama.

Estudos comprovam que manter-se ativo fisicamente pode prevenir a doença e ajudar no tratamento. O Departamento de Pesquisa em Saúde do Estado de Alberta, no Canadá, informou que mulheres praticantes regulares de atividades físicas apresentam uma chance de 25% de não desenvolver o câncer. Para pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, mesmo depois do diagnóstico, a prática de atividades físicas é benéfica, pois durante o tratamento, o ganho de peso do paciente é comum, elevando as taxas de mortalidade pelo câncer de mama.

De acordo com Mariemilia de Araújo, profissional de Educação Física responsável pela ação, ao longo do mês de outubro foi possível tirar da rotina e da zona de conforto diversas pessoas, em especial mulheres, que possuíam uma vida sedentária e não praticavam exercícios físicos regularmente. “A receptividade foi a melhor possível. Todos abraçaram a nossa ação, que teve como principal objetivo alertar sobre a importância da prática de atividades físicas na prevenção de várias doenças, entre elas o câncer de mama”, reitera.

Para a participante Dolores Kuster, as atividades físicas realizadas como as sessões aeróbicas, alongamentos, agachamentos, corrida e atividades musculares, aliadas as palestras de prevenção sobre a doença, são ferramentas poderosas de conscientização. “Pratico atividades físicas regularmente e sei a importância delas para o nosso corpo. É importante limitarmos nossos hábitos sedentários, pois eles são porta de entrada para várias doenças.”, afirma.

O Hospital

O Hospital Yutaka Takeda foi construído pela Vale em 1986 e é gerenciado pela Pró-Saúde desde 1997. Possui ambulatório para consultas eletivas com 20 especialidades médicas, Pronto-Socorro 24h, acomodações de internação com 16 leitos de enfermarias e 17 leitos de apartamentos, um leito de isolamento, um leito de assistência semi-intensiva e dois leitos de assistência semi-intensiva neonatal, com um total de 37 leitos. A unidade possui centro cirúrgico com três salas, sala de pré-parto e três leitos de recuperação pós-anestésica, Serviço de Auxílio Diagnóstico e Terapia e Serviço de Medicina do Trabalho.

A unidade possui as certificações, Hospital Acreditado Pleno – Nível 2, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA); Selo “Green Kitchen”, da Fundação para a Pesquisa em Arquitetura e Ambiente (Fupam), em reconhecimento às boas práticas na cozinha do hospital, e foi o primeiro Hospital do país certificado pelo Programa de Qualidade (PNQ) do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN).

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente, realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.